Mudanças são inesperadas, temidas e, às vezes, até evitadas, mas com elas vêm grandes oportunidades e surpresas. E João Pedro Martens, 30 anos, hoje gerente operacional do Posto Copa 70, localizado no Boqueirão, é o convidado da vez para contar das boas mudanças que lhe aconteceram.

Com uma grande barba e sorriso no rosto, que já entrega sua simpatia, João chegou contente para dar sua entrevista; este ano completa 5 anos que faz parte do Copa 70, mas sua história com o posto começou muito antes, sem ele perceber. Residente do Boqueirão desde pequeno, João mora perto do posto e nem imaginava que trabalharia ou assumiria a gerência de lá; sempre parava para abastecer seu carro ou o carro da empresa em que trabalhou por 6 anos, de locação de cães de guarda, e aproveitava para bater um papo.

Ele conta que ama cachorros, então gostava bastante do emprego. Mas em um não tão belo dia, seu patrão chegou e disse: “Vendi a empresa, você tem mais 2 semanas”. Saiu de lá sem acertos e com algumas dívidas, mas de cabeça erguida em busca de algo novo para não se acomodar.

“O filho é o espelho dos pais”, ele diz ao contar de seu pai, que era caminhoneiro, e de sua mãe, diarista; ele conta que mesmo com uma vida simples, seus pais sempre foram batalhadores e dedicados para cuidar dele e de seus 3 irmãos, garantindo lar, comida e muito amor! E também ensinaram algo valioso que João leva e levará até o final: batalhar e nunca desistir. E foi isto que ele fez, não desistiu!

A simpatia, o sorriso e a disposição que sempre carrega consigo vieram a calhar. Através de contatos, e uma mãozinha de seu irmão, conseguiu um emprego numa empresa de lajes. Não era o emprego dos sonhos, mas para quebrar o galho já estava ótimo. Porém, em sua segunda semana de trabalho, em uma manhã ele acordou mal e avisou que não iria trabalhar naquele dia; como o novo trabalho não estava agradando, resolveu tirar o dia para entregar seu currículo por aí. Os ventos o levaram para o Copa 70.

Como João sempre estava pelas redondezas, já conhecia o gerente da época e perguntou se podia entregar seu currículo ali. Na mesma semana foi chamado para uma entrevista e na semana seguinte sua história no posto começou. 17 de novembro de 2014, foi o início de tudo. Começou como caixa da pista e com todo seu jeito receptivo e comunicativo, conquistou o respeito e carinho de seus colegas, supervisores e também de seus clientes.

"Pô Deus, 2018 vai ser o meu ano”

João conta que sempre gostou de fazer a mais do que lhe pedem, independente se será pago ou não por isso. E com certeza esta é a razão pela qual ele cresceu e continua crescendo no grupo. E também foi por isto que, no início de 2018, foi o escolhido para cobrir as férias do gerente; inicialmente, ele relutou em aceitar, mas o cargo caiu como uma luva.

“Pô Deus, 2018 vai ser o meu ano”, foi o pensamento de João após o pastor da sua igreja falar para ele criar uma lista de metas e objetivos. Ele não criou a tal lista, mas mentalizou forte e foi atrás do que queria. Ele substituiu seu gerente logo no início de janeiro e ficou encarregado de tudo por pouco mais de 1 mês, aproveitando sua oportunidade e conquistando ainda mais a confiança das pessoas ao seu redor.

Em abril, pouco depois de seu gerente voltar de férias, ele descobriu que o posto havia sido vendido e com isso os seus gerentes foram transferidos, fazendo com que ele assumisse a gerência operacional do Copa 70 novamente.

Em maio, Paulo e Amanda assumiram a gerência administrativa do posto e trouxeram consigo as ideias e valores do BioGrupo, que casaram muito bem com os valores que João acredita. Assim, a troca começou: como João já conhecia o posto, começou a auxiliar Paulo e Amanda no que precisavam e vice-versa. João confiou e gostou tanto da nova gestão, que até recusou uma proposta de seu antigo chefe.

João conta que a nova gestão melhorou o clima da equipe, todos se sentem mais unidos e motivados pelas metas que foram estabelecidas e o melhor: João não se sente mais apenas como um funcionário, mas sim como uma pessoa que pode ser ainda melhor, todos os dias! Isto reflete no dia a dia do posto, na relação das pessoas entre si e nos resultados que colhem juntos.

Para ele, uma das coisas que mais gosta é o fato de que Paulo e Amanda sempre agradecem, valorizam seu trabalho e investem em seus funcionários, algo que não acontecia antes. E quanto aos gerentes, eles acreditam que João é uma das grandes promessas para o futuro do Copa 70 e do BioGrupo!

Aí está a prova de que se você aceita as mudanças, mantém sua cabeça erguida e impacta as pessoas com sua humildade, coisas boas vêm até você! Parabéns pela sua trajetória, João. Que você continue com um sorriso no rosto e que todo ano seja seu ano!